Buscar
  • Luísa Aranha

Frustrada

Você me deixa frustrada. Sei que a culpa foi minha. De certa forma no meu acesso de raiva contra vida te atingi. A culpa não era sua. Eu não queria te afastar, mas de uma forma bem clara eu disse com todas as letras que a gente não podia mais.

E todas as vezes que te provoco espero a resposta. Todas as vezes que tento te atiçar, ateio fogo em mim mesma e você se controla. Não responde ou ignora. Eu sei que fui eu que pedi assim e é difícil entender que só falei aquilo em um momento que alma sangrava e que prefiro ter um pouco de ti do que nada.

Você me deixa frustrada, todas as vezes que eu quero uma resposta. Quero um beijo, um abraço, um sorriso, um toque. Me deixa frustrada todas as vezes que não apaga meu fogo. Ele queima, arde e me fere a pele e só você pode apagar.

Eu tento te mandar indiretas bem diretas. Quase suplico por aquilo que quero e ainda assim você me frustra, me deixa na espera, na tênue linha da amizade em preto e branco, nada colorida. Eu quero mais, quero tudo, quero o que disse que não queria e você ainda me limita. Me limita a respeitar o que eu mesmo escolhi.

Eu sei que toda essa frustração um dia passa, ou não. Depende mais de mim do que de você. E quando passar talvez eu nem lembre que um dia ela existiu. Mas por enquanto preciso de mais uma dose, por favor. Apenas mais uma ou mais muitas. Depende mais do que você oferece do que do que posso pedir.

É tipo um vício que não consigo me livrar. Algo que volta e meia caio em recaída. Só quero um pouco da droga que você da. Quero um pouco do calor que provoca, do toque de seus dedos em minha pele, da sensação de prazer da tua voz em meu ouvido. Do teu sotaque cantado embalando promessas que não existem, amores que não são, tesão que não se acaba.

Eu quero muito, quero pouco, quero tudo e mesmo que o tudo seja nada, ainda quero sentir o que me despertas, ainda preciso da tua língua na minha, do teu abraço apertado, teu colo embalado, teu corpo suado. Eu quero o que não posso ter e não sei se um dia serei capaz de não querer.

Por hora quero apenas que entendas, que mesmo eu dizendo que não quero eu quero. Que mesmo que eu tenha dito que precisava de espaço esse espaço não se aplica a sua distância ou seu silêncio. Eu só preciso de mais uma dose de você. Talvez duas, talvez muitas. Eu preciso de mais do que podes me dar, preciso de mais do que consegues me oferecer, mas nessa altura qualquer dose de você já me alivia.

Você me deixa frustrada e nesse jogo o 0x0 é perda de tempo pra nós dois. Não me importo com o empate, desde que no final o placar seja pelo menos 1x1. Será que não da para apenas esquecer que te afastei? E no final confessar que você também sente saudades de mim, de nós, de tudo.

LOGO CeP IMPRESSAO.png

©2019 by Luísa Aranha. Proudly created with Wix.com