Buscar
  • Luísa Aranha

Não vou fazer barulho

Saio sorrateira,

pela porta tantas vezes

aberta deixei.

Pé por pé,

giro a maçaneta,

dou aquela última olhada,

penso se bato, talvez assim você…

Não.

Eu já fiz muito barulho quando queria,

mas seus ouvidos,

surdos,

incapazes,

nunca escutaram.

Ou seu coração não entendeu,

seu medo dominou,

sua pressa faltou.

Tanto faz.

Agora eu saio silenciosa.

LOGO CeP IMPRESSAO.png