A vida é feita de pessoas e sorrisos

Minha vida é feita de pessoas. Pessoas que conheci, pessoas que passaram por mim, pessoas que esperei, pessoas que amei, pessoas que um dia me fizeram feliz. São tantas pessoas e ao mesmo tempo tão poucas que guardo os sorrisos mais importantes como referências de momentos. Porque o sorriso é a forma mais sincera de cumplicidade. Há quem diga que sejam as lágrimas mas não acredito. Prefiro me lembrar da pessoa sorrindo do que chorando.

Não que os momentos de tristeza não sejam lembrados e importantes para a nossa construção. Eles servem como base para subirmos mais um degrau e aprender que toda dor um dia passa. Diferente do sorriso que eterniza os momentos felizes. Se fosse a lágrima da dor o elo da cumplicidade tiraríamos fotos chorando. Mas ao contrário disso sorrimos sempre que queremos eternizar um momento.

Guardo os sorrisos de amigos, coleciono eles como se me fossem o mais caro tesouro. E todas as vezes que, por algum motivo, sinto saudades, por um segundo, fecho os olhos e vasculho entre tantos sorrisos aquele que me fará amenizar a dor da distância. Sim, porque o sorriso é a cura para a dor, aquela que invade a alma e te abraça silenciosamente mesmo que tudo a volta se mexa. E somente um sorriso sincero e cúmplice e capaz de aliviar a pressão do peito e suspender as lágrimas da alma.

Minha vida é feita de pessoas. Pessoas e sorrisos. Amores, amigos e sorrisos. Momentos, pensamentos e sorrisos. Dias, noites e sorrisos. Todos eles guardados num baú. Como coisas antigas e preciosas. Sorrisos que valem mais que qualquer dinheiro. 

Posts recentes

Ver tudo

São tantas histórias, tantos absurdos em sequência que eu me pergunto: o que falta pra gente realmente se rebelar? No Brasil, a cada dez minutos uma mulher é estuprada. A cada minuto, oito mulheres sã

Uma vez, um aluno me disse: — Suas aulas são muito boas, pena que você é tão feminista. E essa frase me impactou. Primeiro porque acho que tenho muito a aprender ainda neste caminho do feminismo. E se

Difícil mesmo é saber se escuto minha mente ou sigo o coração: um grita desiste o outro diz insiste.